sábado, 15 de maio de 2010

ground2

As horas que me pertencem
Nunca se encaixam em gavetas
Assim passo solta
Nos sentidos do planeta

Em casa, em caixas
Sem estrelas sem serrotes!
Nas ligações perdidas
As faltas são cortes

Em silêncio, o pensar se espande em pranto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário